sexta-feira, 6 de maio de 2011

" DIVIDINDO A DOR DE UM SEGREDO "

Querida prima Cláudia




Espero que estejas aproveitando bastante o teu estágio aí nesta Cidade Maravilhosa. Como até agora não recebi notícias tuas acredito que trabalhar e estudar está te tomando o tempo todo. Como está sendo o estágio na Agência de Turismo?

Prima estou aqui sentindo a tua falta e precisando da tua ajuda. Preciso muito dividir um segredo contigo que está me sufocando.

Ontem quando cheguei da faculdade como sempre entrei pela garagem com a bicicleta. Acabei chegando bem mais cedo do que o costume porque dois professores haviam faltado devido às fortes chuvas.

Quando entrei vi o papai aos beijos e abraços com outra mulher dentro de casa. Fiquei tão atordoada e assustada que não sabia para onde ir.

Sem que ele percebesse que eu estava ali e visto a cena sai correndo na chuva e fiquei encolhida debaixo de uma árvore que havia no quintal atrás da casa.


Não podia ficar parada ali debaixo daquela árvore esperando a mãe chegar e me ver naquele estado.

A chuva começou a varrer a rua devagar, o asfalto já estava molhado e eu tinha que pegar a minha bicicleta e a capa de chuva que estavam na garagem, contudo eu estava receosa de ser vista, mas resolvi arriscar.

Tive a idéia de ir para a tua casa e pedir a tua mãe para ficar por lá até a chuva melhorar. Fui para o teu quarto e acabei pegando no sono só indo embora hoje pela manhã.

Meus pensamentos disparavam e só conseguia pensar na mamãe que naquela hora estava lá na Fábrica dando um duro danado, trabalhando para poder ajudar nas despesas da casa.

Você sabe muito bem como é a nossa vida minha prima e o papai com certeza saiu mais cedo do seu trabalho lá na Usina para ter chegado mais cedo em casa. Que eu tenha tido conhecimento ele nunca fez isso antes.

Tenho me questionado com tantas perguntas. O que será que está acontecendo com o casamento deles? Porque o papai agiu dessa forma sujeitando a nossa família a passar uma vergonha dessas? A cidade é pequena, todos aqui se conhecem e logo esse assunto será fofoca no Bar do Raul.

A realidade é que eu teria que viver com esse segredo por resto da vida. Como poderia ter coragem de conviver com essa situação, de olhar para papai sem dar a perceber a minha indignação e revolta, de olhar para mamãe sem que ela notasse que eu estava triste e diferente.

Por isso que estou te escrevendo e pedindo a tua ajuda. Preciso de um tempo para organizar os meus pensamentos e tomar as decisões certas e sem me precipitar.

A única saída que encontrei foi de ir morar contigo e correr atrás de algum estágio para poder sair de casa e lutar pela minha independência.

Assim não preciso ficar convivendo com essa situação usando uma máscara o tempo todo. Por outro lado vai ser bom para os meus pais estarem sozinhos. Isso faria com que se dedicassem mais um ao outro onde muita coisa poderia mudar neste casamento que a meu ver já acabou.

Espero ansiosa a tua resposta para preparar tudo e me encontrar contigo o mais rápido que puder.

Beijos desta tua prima que te perturba, mas te ama muito

Susana



RSantos
41a. Edição Cartas
Pauta para Bloínquês





2 comentários:

  1. Nosso amigo imaginarioé muito especial. É conhecido de todos.
    Quero lhe desejar um Feliz dia das mães.
    Que Deus te abençõe.
    http://sandrarandrade7.blogspot.com
    Carinhosamente,
    Sandra

    ResponderExcluir
  2. Nooooooossa, que segredo foste arrumar,rsrs Lindo!Ficou ótimo! beijos,chica

    ResponderExcluir