sábado, 16 de junho de 2012

"Amor"


Amor,

Moras neste meu coração desde sua primeira batida avisando ao mundo que eu estava chegando. Acompanhastes os meus primeiros passos, as minhas manhas e rabugices, as minhas brincadeiras, os meus tombos e travessuras. 

Quando jovem tivestes a paciência de me ouvir, de saber de todos os meus segredos, de quando me apaixonei pela primeira vez e tantas outras, sempre enxugando as minhas lágrimas e mostrando que mesmo na tristeza estavas presente.

Companheira inseparável em todos os momentos sem nunca reclamar mesmo que o meu ódio e rancor fossem tão grandes que quase não sobrasse lugar para estares aqui dentro. 

Enchestes de alegria quando encontrei o meu príncipe encantado e toda radiante  me casei construindo uma linda família.

Foste amiga fiel em todas as fases de minha vida e nunca cheguei para te dizer o quanto te quero bem, o quanto te amo meu amor.

Ensinastes que o valor de alguém, o amor por alguém, ou de algo, é dado unicamente por nós, é pessoal, único, exclusivo, intransferível.

Quando a inevitável dor da perda chegou enchendo de feridas  este coração tivestes a paciência de cuidar de cada uma com a delicadeza de um anjo.  

Ficava triste, mas aos poucos conseguia enxergar que mesmo triste e tendo perdido um ente tão querido, eu tinha sido capaz de amar, e, mesmo sem prestar às vezes atenção nisso, o mundo ficava mais bonito, pois o mundo sempre é mais belo quando refletido naquilo que amamos.

Para o amor não há despedidas apesar do choro triste e da dor sentida. Nas partidas da vida ele segue junto e a gente tem a eternidade toda para se amar.

Amor meu, que deste coração cuidas há tanto tempo, não deixando uma cicatriz nele permanecer por muito tempo, o que mais poderia estar aqui colocando nesta simples carta.

Somente tenho a dizer que sou o que sou porque tenho dentro de mim a ti, sentimento tão sublime, que me faz ter vontade de viver. 

Afagos apertados neste peito que é só teu.






RSantos
ism


95º Edição cartas
Tema: E a gente tem a eternidade toda pra se amar.
Bloínquês


sábado, 19 de maio de 2012

" Querido amigo Mário "

 
Querido amigo Mário

Fiquei sabendo da triste notícia sobre o acidente do teu irmão e que infelizmente não resistiu aos ferimentos. Sei que além de irmão era teu melhor amigo, companheiro e confidente, mas tens que ser forte nessa hora. Tens que olhar para teus pais que são mais velhos e procurar confortá-los. Você é a única razão de viver deles e não pode desapontá-los.

Recebi tua carta e vejo que entrastes numa forte depressão ficando trancado no quarto o tempo todo. Sabes o quanto somos amigos e que te conheço muito bem. Imagino que tua família esteja preocupada também de que venhas a fazer alguma loucura se andastes dizendo o que me escrevestes.

- Rosa saiba de que nada mais tem sentido em minha vida e a minha vontade é sumir deste mundo.

Mário não sei se esta carta vai chegar antes de mim, mas tenha a certeza que já estou a caminho. Está me matando te ver assim e não vou te deixar só nesta hora que mais precisas.

Quero que levante desta cama, tome um bom banho e se arrume para me esperar. Quando chegar quero te encontrar fora desse quarto e pronto para darmos um passeio e colocarmos o papo em dia.

A perda do seu irmão foi muito triste para todos e a vida nos prepara para aceitarmos as coisas boas e ruins. São nesses momentos que amadurecemos e crescemos como seres humanos.

Com todo amor e carinho desta tua amiga que te ama demais e está morrendo de saudades e com uma vontade enorme de te dar um abraço bem apertado.

Beijos

Rosa


RSantos


91ª Edição Cartas  BLQ

sábado, 12 de maio de 2012

" Meu amor volte para mim"

Meu amor,

Estou sentindo tanto a tua falta e esse tempo que estamos separados tem sido muito triste e angustiante para mim.


Foi um tempo que me ensinou o quanto és importante para a minha vida e que a minha felicidade só é completa quando a tenho ao meu lado.


Cada dia que passa é uma eternidade e nada me interessa e nem tem graça. Preciso de ti e quero que volte para mim para sentir a alegria novamente em nossa casa.


Eu te amo, e sabes muito bem disso. Sei que sou chato, que reclamo de tudo, mas vou me esforçar para não cometer esses erros novamente que nos levaram a esta cruel separação.


Amor és muito especial para mim e experimentar a sensação da sua ausência já me serviu de lição.


Quero poder voltar a te abraçar, a te beijar, sentir teu corpo junto ao meu numa entrega total. Quero me doar inteiro de coração aberto me dedicando unicamente a nossa felicidade


Meu amor vamos nos permitir aceitar um ao outro como nós somos. 


Volte para mim!


Eu te amo muito!


Beijos 
Edu


RSantos

90 ªEdição Cartas 

sábado, 28 de abril de 2012

" Ninguém merece um chefe desses "



Maninha Bia

Como sinto sua falta e como gostaria de estar mais perto para colocar em dia os nossos papos como sempre o fizemos.

Aqui está tudo seguindo bem e tenho procurado desempenhar o melhor  que posso o meu trabalho.

Sei que não posso reclamar de ter sido aceita para ocupar essa vaga aqui em Houston e que para mim é muito bom profissionalmente, mas nem tudo é perfeito como queremos que seja minha mana.

Talvez o fato de estar morando em outro Pais, longe de da família tenha me deixado mais carente e sensível.

O fato é que o meu chefe é um cara muito exigente e, além disso, muito grosso. Parece que está sempre de mal humor. Acredito que ele é um homem mal amado porque vive sempre  chamando atenção.  Nada do que faço está perfeito, tem sempre um detalhe que reclama e pede para fazer tudo de novo.

O que me consola minha mana é que sei da minha capacidade e que posso até cometer erros, mas quando estou certa não consigo ficar calada.  E ele não consegue dialogar e vem logo usando palavras que me ferem como facas,  me castigam por dentro que tenho vontade de gritar e sair correndo. Só não faço isso  porque não vou dar mole para ele me dispensar.

Ninguém merece um chefe desses minha mana e é para não ter que bater boca com ele  que resolvi escrever para você e colocar neste papel toda a raiva que sinto.


Quero que não fique preocupada, pois sou bastante adulta e responsável para não fazer loucura. Depois volto a escrever com calma contando  mais detalhes, mas agora já tenho que sair para ir ao curso de inglês técnico que resolvi fazer para poder me expressar melhor e quem sabe aprender a usar palavras que  o façam ficar mais calmo.


Beijos  cheios de saudade dessa sua irmã que a ama muito.


Lia



RSantos
88ª Edição Cartas